25 May 2022

Escritório Mercantil de Contabilidade

CONTRATAÇÃO - Contratar incluindo: como tornar processos seletivos mais justos e diversos

Selecionar, muitas vezes, é excluir. É comum ver empresas exigindo habilidades que não são necessárias para a função, pedindo experiências incompatíveis com o nível do cargo, priorizando currículos pela reputação da universidade cursada e não pelas competências listadas, e até preferindo candidatos que morem perto do trabalho e que não tenham filhos.

Os exemplos de contratações que privilegiam gênero, classe social, cor de pele e idade são numerosos, e, em geral, favorecem um determinado tipo de candidato: homens brancos heterossexuais de classe média ou alta.

Apesar de vivermos em um país majoritariamente feminino, onde mais da metade da população adulta não concluiu o ensino médio e 57,3% se declara pardo, preto, amarelo ou indígena, basta olhar para o quadro de funcionários das companhias para perceber que o perfil mais empregado, paradoxalmente, não condiz com a população média brasileira.

O levantamento Perfil social, racial e de gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas, realizado pelo Instituto Ethos confirma esse fenômeno e comprova que mulheres e negros estão sub-representados e, quanto mais alta a hierarquia, menos presentes.

Mesmo que as mulheres sejam mais preparadas, tendo uma média de anos de instrução superior à masculina, a participação delas em funções executivas é de 13% e no conselho de administração é de 11%. A exclusão de pessoas negras é ainda mais nítida: 94% das pessoas que ocupam posições executivas e que fazem parte do conselho de administração das empresas são brancas.

O mapeamento mais recente foi feito em 2016, então é de se esperar que o cenário tenha mudado um pouco. Mas os números indicam questões difíceis de resolver em apenas seis anos de lá para cá:

- 72% das empresas ouvidas não tinham nenhuma política em prol de igualdade de gênero;

- 88% delas não articulavam nenhuma iniciativa para promover igualdade de oportunidades entre funcionários negros e não-negros;

- Menos de 25% desenvolviam ações afirmativas para que grupos minoritários crescessem em suas carreiras;

- 70% não demonstravam interesse em ter candidatos diversos ao longo dos processos seletivos

- 7% tinham metas para que mais mulheres participassem de programas de trainee - o número baixava para 2,6% em relação à participação de pessoas negras.

Como mudar essa realidade

De acordo com a head da área de curadoria de talentos da consultoria Mais Diversidade, Amanda Aragão, para que uma empresa tenha um quadro de funcionários mais diverso é preciso mudar a forma de olhar para os possíveis candidatos.

"Quando fazemos um processo seletivo afirmativo, temos um foco, uma intenção. É necessário pensar no que faz sentido em relação à demografia. Se estou olhando para uma área onde há menor representatividade feminina ou menor representatividade de pessoas pardas e pretas, tenho que ter essa intenção para encontrar esses grupos dentro dos meus candidatos", explica Amanda. "Então, usamos a busca ativa, invertemos a lógica. Não dá mais para esperar que os candidatos venham bater à porta."

Ela defende que a divulgação de vagas precisa ser um convite e não um empecilho para atrair candidatos diversos. E dá o exemplo de oportunidades de emprego que, como pré-requisito, requerem domínio de outros idiomas e a participação em empresa júnior durante a faculdade - ou mesmo de empresas que, em sua comunicação institucional, usam imagens que não ilustram diversidade.

"As pessoas vão olhar e falar 'não pertenço a esse lugar', então nem vou me inscrever. É preciso que as empresas reafirmem a sua vontade de atrair pessoas diversas. E, para vencer a resistência interna e colocar essa mudança em prática, é importante engajar alguns grupos específicos dentro da empresa, além do RH, como gestores e tomadores de decisão. De nada adianta o RH trazer vários finalistas que, por vieses inconscientes ou, de fato, por preconceito e discriminação, nem sejam considerados como escolha final."

Para Amanda, não se trata de baixar as exigências para uma vaga, mas de analisar que competências são essenciais para o cargo, quais podem ser desenvolvidas e quais serão fundamentais para o crescimento do profissional dentro da companhia. "Nem a mais, nem a menos. Na minha visão, o papel de quem está no RH é alinhar com a gestão o que é essencial para a vaga para o que o processo seja mais assertivo."

Uma amostra disso foi uma parceria recente entre a Mais Diversidade e o Banco BV, para contratar um grupo de pessoas com deficiência interessadas em trabalhar com experiência do usuário (UX). "Foi um programa de entrada, mas o diferencial é que não eram estagiários e os candidatos não precisavam ter curso superior. Então fizemos um processo seletivo muito pautado em competências, no comportamento, no desejo de atuar na área. O objetivo era contratar 10 profissionais. No fim, o banco contratou 21 e fez um programa de formação desses profissionais. Essas 21 pessoas com deficiência vão trabalhar olhando para necessidades específicas, enxergando o cliente de forma integral", conta Amanda.

Currículo oculto

Sabendo que o caminho de cada um para se candidatar a uma vaga de emprego é diferente, a Unilever Brasil mudou o formato da principal porta de entrada na companhia e criou o programa de estágio #ParaTodes. Tendo como meta desenvolver 10 milhões de jovens para novas oportunidades de trabalho até 2030, a iniciativa foi pensada, desde o início, em 2020, para priorizar a acessibilidade em todas as etapas de recrutamento. Tanto que o conteúdo do site do programa está disponível em libras, ícones com descritivos e opções inclusivas de tamanhos de fonte e contraste. Entre os estagiários admitidos em 2022, 65% eram autodeclarados pretos ou pardos, 66% eram mulheres, 3% PcDs e 18% LGBTQIA +.

"Queremos ir além de cursos e artifícios que podem diferenciar os jovens por sua condição social e financeira, o foco é ver além e entender a trajetória de vida, seus esforços e sua vontade de crescer e aprender", diz a diretora de desenvolvimento organizacional e cultura da Unilever Brasil, Ana Paula Franzotti.

"Por isso, removemos os requisitos de inglês e de nome de universidades no currículo dos candidatos para focar na jornada de vida e de experiências deles, o chamado currículo oculto. Hoje, o programa é uma das principais iniciativas para fomentar a diversidade dentro da companhia", afirma.

Essa intenção da Unilever Brasil em ser uma organização com mais equidade, diversidade e inclusão é demonstrada em números: a média de efetivação de estágiários é de 48%, superior à média do mercado.

Além do #ParaTodes, a Unilever Brasil aposta em grupos de afinidade para estimular a diversidade e a inclusão na companhia, como é caso do Women Up (para discussões de gênero), ProUd (concentrado no público LGBTQIA+), UniPcDs (com foco em pessoas com deficiência) e o Afrolever (voltado para questões raciais). O Fundo Afrolever, que prevê um aporte de R$ 17 milhões para ações afirmativas de equidade racial, é um dos frutos desses coletivos. E dele, nesse dominó de boas práticas, nasceu o Prontidão, um programa de mentoria e formação para que mais posições de chefia sejam ocupadas por profissionais negros.

"Nossa meta, até o final do ano, é dobrar a representatividade de pessoas negras em cargos de alta liderança e triplicar essa representatividade na média liderança", conta Ana Paula.

Recrutamento neutro

Quem está seguindo por caminhos semelhantes é a Ocyan, antiga Odebrecht Óleo e Gás. Desde 2019, a companhia mantém o programa Diversidade & Inclusão com um comitê multidisciplinar e grupos de atuação que se dividem em quatro pilares: equidade de gênero, pessoas com deficiência, LGBTQIA+, raça e etnia. Assim como na Unilever, esses times, além de serem lugares de diálogo e autoconhecimento, também trabalham com formação e mentoria

Em 2021, junto com a consultoria United Minds, a equipe de gestão de pessoas da Ocyan fez sua primeira seleção às cegas. Para encontrar os jovens que fariam parte do programa de estágio pelos dois anos seguintes, a companhia optou pelo que é conhecido como recrutamento neutro - deixando de lado critérios tradicionais como gênero, universidade e local de moradia.

"Procuramos garantir que todos tenham as mesmas oportunidades de mostrar seu potencial, sua história de vida, assim como competências técnicas e comportamentais. É fundamental reconhecermos as diferenças individuais, eliminando ou minimizando eventuais barreiras e vieses inconscientes do processo seletivo. Encorajamos que cada pessoa que participa do processo seletivo assuma um compromisso pessoal e genuíno com a agenda de diversidade assim como os líderes da Ocyan", afirma Bruna Fonseca, gerente da área.

O resultado comprovou que os critérios, até então tidos como obrigatórios, não são tão efetivos para escolher os melhores candidatos: das 24 vagas abertas, 92% foram ocupadas por pessoas de grupo minoritários, sendo 58% autodeclarados pretos e pardos, 54% moradores de periferia, 46% mulheres, 17% LGBTQIA+ e 8% pessoas com deficiência.

A companhia está comprometida com o Pacto Global da ONU pela promoção da equidade racial e o estímulo a lideranças femininas até 2030. "Queremos ser referência como empregador inclusivo até 2030 e focar na atração e ascensão de mulheres dentro da empresa. Definimos metas objetivas que impactam o bônus dos nossos executivos e de toda a Ocyan e indicadores processuais para acompanhar nossa evolução na quantidade de mulheres e negros em posições de liderança", detalha Bruna. "E esta transformação começa, de fato, pela identificação de pessoas", conclui.


Fonte: Economia UOL

Voltar para notícias

Fechar

Política de Cookies

Seção 1 - O que faremos com esta informação?

Esta Política de Cookies explica o que são cookies e como os usamos. Você deve ler esta política para entender o que são cookies, como os usamos, os tipos de cookies que usamos, ou seja, as informações que coletamos usando cookies e como essas informações são usadas e como controlar as preferências de cookies. Para mais informações sobre como usamos, armazenamos e mantemos seus dados pessoais seguros, consulte nossa Política de Privacidade. Você pode, a qualquer momento, alterar ou retirar seu consentimento da Declaração de Cookies em nosso site.Saiba mais sobre quem somos, como você pode entrar em contato conosco e como processamos dados pessoais em nossa Política de Privacidade. Seu consentimento se aplica aos seguintes domínios: palmiericonsultoria.com.br

Seção 2 - Coleta de dados

Coletamos os dados do usuário conforme ele nos fornece, de forma direta ou indireta, no acesso e uso dos sites, aplicativos e serviços prestados. Utilizamos Cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade, sendo que o usuário concorda com essa utilização ao aceitar essa Política de Privacidade.

Seção 3 - Consentimento

Como vocês obtêm meu consentimento? Quando você fornece informações pessoais como nome, telefone e endereço, para completar: uma solicitação, enviar formulário de contato, cadastrar em nossos sistemas ou procurar um contador. Após a realização de ações entendemos que você está de acordo com a coleta de dados para serem utilizados pela nossa empresa. Se pedimos por suas informações pessoais por uma razão secundária, como marketing, vamos lhe pedir diretamente por seu consentimento, ou lhe fornecer a oportunidade de dizer não. E caso você queira retirar seu consentimento, como proceder? Se após você nos fornecer seus dados, você mudar de ideia, você pode retirar o seu consentimento para que possamos entrar em contato, para a coleção de dados contínua, uso ou divulgação de suas informações, a qualquer momento, entrando em contato conosco.

Seção 4 - Divulgação

Podemos divulgar suas informações pessoais caso sejamos obrigados pela lei para fazê-lo ou se você violar nossos Termos de Serviço.

Seção 5 - Serviços de terceiros

No geral, os fornecedores terceirizados usados por nós irão apenas coletar, usar e divulgar suas informações na medida do necessário para permitir que eles realizem os serviços que eles nos fornecem. Entretanto, certos fornecedores de serviços terceirizados, tais como gateways de pagamento e outros processadores de transação de pagamento, têm suas próprias políticas de privacidade com respeito à informação que somos obrigados a fornecer para eles de suas transações relacionadas com compras. Para esses fornecedores, recomendamos que você leia suas políticas de privacidade para que você possa entender a maneira na qual suas informações pessoais serão usadas por esses fornecedores. Em particular, lembre-se que certos fornecedores podem ser localizados em ou possuir instalações que são localizadas em jurisdições diferentes que você ou nós. Assim, se você quer continuar com uma transação que envolve os serviços de um fornecedor de serviço terceirizado, então suas informações podem tornar-se sujeitas às leis da(s) jurisdição(ões) nas quais o fornecedor de serviço ou suas instalações estão localizados. Como um exemplo, se você está localizado no Canadá e sua transação é processada por um gateway de pagamento localizado nos Estados Unidos, então suas informações pessoais usadas para completar aquela transação podem estar sujeitas a divulgação sob a legislação dos Estados Unidos, incluindo o Ato Patriota. Uma vez que você deixe o site da nossa loja ou seja redirecionado para um aplicativo ou site de terceiros, você não será mais regido por essa Política de Privacidade ou pelos Termos de Serviço do nosso site. Quando você clica em links em nosso site, eles podem lhe direcionar para fora do mesmo. Não somos responsáveis pelas práticas de privacidade de outros sites e lhe incentivamos a ler as declarações de privacidade deles.

Seção 6 - Segurança

Para proteger suas informações pessoais, tomamos precauções razoáveis e seguimos as melhores práticas da indústria para nos certificar que elas não serão perdidas inadequadamente, usurpadas, acessadas, divulgadas, alteradas ou destruídas.

Seção 7 - Alterações para essa política de privacidade

Reservamos o direito de modificar essa política de privacidade a qualquer momento, então por favor, revise-a com frequência. Alterações e esclarecimentos vão surtir efeito imediatamente após sua publicação no site. Se fizermos alterações de materiais para essa política, iremos notificá-lo aqui que eles foram atualizados, para que você tenha ciência sobre quais informações coletamos, como as usamos, e sob que circunstâncias, se alguma, usamos e/ou divulgamos elas. Se nosso site for adquirido ou fundido com outra empresa, suas informações podem ser transferidas para os novos proprietários para que possamos continuar a vender produtos e serviços para você